terça-feira, 30 de janeiro de 2007

Blind date

Quem da minha geração não passou por isso? Unzinho?
É triste confessar, mas eu confesso.
Comprei meu primeiro macintosh e veio a assinatura da Macbbs. Era uma bbs, era o avô do msn. Entrava no começo meio desconfiada, me sentindo uma mulher das cavernas, mas com o tempo fui viciando naquilo e não saía mais.
No auge do vício conheci o Marcos, um fotógrafo de moda, surfista que morava em Maresias de 40 anos. UAU! Mulherada, façam a imagem disso que descrevi na cabeça de vocês. Então, fui me encontrar com ele no Bosque do Morumbi no cair da tarde, romântico, né?
Parei meu carro e vi o moço, ali, em pé, no estacionamento e eu só pensando em como engatar a ré. – Renata, aparência não é tudo. Tento me convencer.
Saio do carro, e vou enfrentar o meu sonho de consumo despedaçado. Ele era da minha altura (1,59) gordinho, careca e chato. E estava com uma câmera digital (estamos falando de 1996) e ele não parava de tirar fotos minhas, e eu meio sem graça com vontade de morrer, e ele, tadinho, gamado, consegui inventar uma desculpa e ir embora.
Dias depois acho que estou vacinada quanto a isso e… Dande aparece. Mais um blind date, só que este eu marquei num restaurante japonês de um amigo, assim eu tinha como fugir. Mas ele era lindo, fofo, simpático e… casado! É casado. Mais um blind date frustado.
Blinds Dates me cansaram e passei a ir a encontros da Macbbs, que época boa, fiz amigas incríveis que guardo até hoje e o melhor foi saber que elas, todas elas, também cairam no mesmo papo do fotógrafo de moda, surfista que morava em Maresias de 40 anos. Mas no Dande, só eu... O que a fantasia e a carência feminina não fazem?

8 comentários:

MH disse...

a gente é sem noção...

Ana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana disse...

Eu sei exatamente o que a fantasia e a carencia fazem com uma pessoa...já caí em cada uma...e por isso jurei nunca mais ir em um blind date. Never!

Gastón disse...

Re, tenho algumas histórias de Blind Date. Que já deram em amizade, namoro e 100 metros razos.

Melissa Coelho Mizuca disse...

hahahahha Re estou nesta fase kkkkk mas naum tão ruim assim algumas coisas dá para aproveitar afinal somos mestres em ver algo bom no que é ruim kkkkk bjs vc é otima....

Pinho disse...

Ai que vc se engana Re, blind dates frustrados nao sao privilegio de vcs meninas.
Eu ja entrei em vaaaaarias roubadas, ate pq, fotos digitais sao um fenomeno recente, antigamente o blind era realmente blind.
Lembra do Papai Noel Motociclista??
bjs

Re disse...

MH, A gente é sim sem noção...

Ana, não diga nunca mais, vai que rola um verdadeiro surfista de 40 anos e fotógrafo de moda?

Gastón, Na verdade o Dande virou meu chefe por 5 anos... até emprego consegui atráves de um blind...

Melissa, ser Polyanna ajuda na hora de blinds... pelo menos diverte um pouco.

Pinho, Sei que vc é o campeão de blinds... os piores são sempre os seus.

bjs

cbaioco disse...

Já diz a Jose (corruptela de Juvessy), minha sábia depiladora:
mulher quando tá carente não devia sair de casa nem pra ir no supermercado, porque beija sapo achando que é príncipe!