sexta-feira, 18 de março de 2011

Fragmentos de um Carnaval

Fuçando pela internet achei um site com muitas histórias de carnaval, de beijos que acabaram cedo demais, encontros rápidos que podiam ter demorado mais uns dias, paixões que durou segundos, da Colombina que esbarrou com seu Pierro no Cordão do Bola Preta e a multidão os separou, a Smurfete que se encantou pelo Papai Smurf, o Flamenguista que arrasou com a Vascaína, e infinitas outras histórias de amores de carnaval, amores descartáveis, mas que de alguma marcaram.
Vejam o site, se chama "Oncinha cadê você?"
Me fez lembrar dos carnavais de Iguaba na casa de uma amiga, íamos todos os anos para o mesmo clube em Araruama, encontrávamos as mesmas pessoas, nos apaixonávamos e nos reapaixonavamos todos os carnavais.
Lembro de um mocinho vestido de índio, logo eu que não sou fã de índio, fiquei apaixonada por ele, era última noite de carnaval, a bateria saiu do clube e fomos atrás dela, o dia estava nascendo, nos perdemos ali, entre berros:
- Qual seu nome?
- RENATA E O SEU?
- Ivan, decora meu telefone, vai?
- HAN?
- Decora meu telefone? xxxxxxx.
- xxxxxxx.
- Isso.
- Decorado.
- Jura que me liga do Rio? Jura? Jura para mim?
- Juro.
Não precisa dizer que não decorei e que nunca mais vi o índio Ivan.

7 comentários:

Cláudia disse...

ai, coitado de Ivan, que mulher de alma monstruosa voce é, como assim nao decorou o telefone de Ivan ali, sussurrado enquanto Silvio Santos cantava a pipa do vovIo nao sobe mais?
Depois o cara atira nas pessoas na lanchonete e ninguem sabe o motivo, o que desencadeou o trauma.
bj

JNR disse...

Terminei postando o mesmo link. Mas espero que tenhas a sorte de encontrar o Ivan.

:)

Renatinha disse...

Clau,
Será que traumatizei o moço?
Tadinho... ele deve estar os ultimos 20 anos em terapia... ô dó.... rs
beijos e saudades

JNR,
Esta história tem 20 anos... rs Espero nunca encontrá-lo, imagina como ele deve estar barrigudo e careca?
Re

Cláudia disse...

aposto como Ivan, traumatizado e ferido em seu coraçãozinho juvenil, jurou, agarrado ao rabanete, que nem que ele precisasse roubar, matar, trair ou enganar, ele nunca mais daria o telefone para uma mulher novamente!

JNR disse...

Ele vai aparecer num programa de domingo, na TV, procurando você.

hahaha

E não é praga!

vivi disse...

hihihihihi!
adorei o post e mais ainda os comentários.
Traumatizou o cara, RÊ!?
rs
beijo

Dedinhos Nervosos disse...

O blog é ótimo. Quase morri de tanto rir quando entrei. E me fez lembrar de muitos carnavais e paixões de uma noite só. Ou de uma hora... meia-hora... 5 minutinhos?? ihihi

E vou fazer coro com a Cláudia: coitado do Ivan! ahahah