quinta-feira, 21 de março de 2013

No busão

Nunca fui da turma do busão, fui criada cheia de mimos e cuidados, então andar de ônibus para mim era algo fora do meu dia a dia. Porém, esta semana fui fazer um curso em Recife e como agora moro numa vila e não tenho carro, quando vou para a cidade grande tenho que sobreviver ao famoso busão e segue aqui um guia prático de minhas análises da semana:
• ao entra no ônibus, dê bom dia, boa tarde ou boa noite, mesmo sabendo que não será correspondido e antes da catraca, repita a ação, mesmo sabendo que também não será correspondido, sorria;
• se tiver dinheiro trocado, dê, não economize suas moedas, pode ser a sua salvação contra o mal humor do cobrador;
• procure sentar perto de pessoas que pareçam ter bom papo, isto faz o tempo andar mais rápido;
• se não conseguir, procure um lugar longe do sol, lado esquerdo do ônibus antes do meio dia e direito depois (pelo menos na minha rota, pesquise a sua antes);
• se não tiver como sentar, nem pegue o ônibus, espere o próximo, pois nas curvas, nos buracos e inclusive nas freiadas sua coluna vai agrdecer;
• piranha. Tenha sempre uma, se o ônibus estiver cheio por você não ter obedecido a regra anterior seu cabelo pode ficar preso entre as pessoas e isso não é legal;
• procure novos caminhos e novas rotas, é sempre uma surpresa quando o caminho é novo;
• se pela janelinha ver algo interessante na rua, não desça. Lembre-se do lugar e vá outro dia sem compromisso, pois o próximo ônibus vai demorar 40 minutos pelo menos e você, que de longe achou que era uma blusinha incrível, de perto vai ver que ela tinha tecido que dá cecê;
• não caia na tentação de pegar um táxi. Pense na economia de 1 semana de táxi e gaste comprando um novo shortinho lindo na Farm;
• pessoas com celular, evite. A não ser que o papo pareça ser cheio de reviravoltas;
• desça do ônibus duas paradas antes da sua, isso vai fazer com que você chegue com uma carinha melhor no seu destino e ainda emagrece;
• faça amizades no ponto do ônibus. Lá você acaba tendo altas dicas de rotas, apesar de não usar nenhuma sugerida por medo de se perder, mas você fica sabendo que é possível ir além;
• se o motorista resolver não parar onde você gostaria, não adianta berrar, gritar nem ficar dizendo: "Desce, desce". Ele vai te ignorar até ele ter vontade de parar e pronto. Você perdeu sua parada, a sua bela voz e seu ar balsé vai para as cucuias;
• fone de ouvido. Não leve, não use, não, não e não. É tão antipático e é tão gostoso ouvir o barulho, você vai agradecer quando o silêncio voltar;
• livro é bem vindo se não quiser papear, mas não leia se o seu ônibus for aquele que tem uma sanfona no meio, eles pulam muito mais e você pode acabar enjoando ou ficando vesga;
• crianças por perto. Fuja. Por motivos óbvios;
• senhoras de idade. Fuja. Por motivos mais óbvios ainda;
• se você ver que no ônibus tem "aquela" turma de camisetas iguais saindo de uma escola. Fuja. Fuja. Fuja mesmo. E esta é a regra mais importante, pois eles fazem do ônibus uma extensão da hora do recreio. Voa papel, voa. Voa tapa na cabeça, voa. Voa empurrões, voa. E se algo te atingir ouvirá em alto e bom som: "Desculpa aí, tia!"
Aprendi ou não aprendi muito esta semana no curso?

5 comentários:

Fabio Fernandes disse...

Olá, Renatinha!
Pura realidade, rsrs. Mas... Infelizmente, alem de termos um transporte publico de péssima qualidade, a nossa 'cultura" nos ensinou que andar do mesmo é coisa de pobre, assim como a bicicleta. Abraço! www.beabadosucesso.com.br

Marisol Dy Sanchez disse...

Muito bom Rê! "voa papel!!" ahahahaha

Let´s disse...

Quanto tempo não vinha aqui... Continua o mesmo espaço acolhedor! Eu já pensei em escrever minhas estórias de ônibus, de tantas que são. Quem não anda de ônibus, não sabe o que é a vida...rs

Cláudia disse...

A dama do lotaçao ah ah ah

Roberta disse...

hahaha, ótimas dicas! Lembrei dos meus tempos de escola 9eu era a turma das camisetas iguais)... bom lembrar Re, porque se eu por acaso for andar de ônibus, agora seria a tia!