quinta-feira, 31 de maio de 2007

Ter marido dá trabalho (motivo 2)

Como sabem… meu marido não morava comigo, morava em São Sebastião, mas… resolveu voltar para o aconhego do lar.
Minha vida era simples, bem simples. Acordava, descia com os cachorros, ia para o trabalho, almoçava em casa duas vezes na semana, outras duas tinha a faxineira e uma vez por semana a cachorrada passava o dia sozinha. Chegava no trabalho e fazia minhas coisinhas e tal. Saía do trabalho às 7 em ponto, e cuidava da minha vida, nunca faltava nada em casa, leite, pão, iogurte, ração, escrevia sempre no meu blog... Malhava religiosamente, mas antes descia de novo com meus peludos, chegava em casa, tomava banho, via novela, lia um livro, ficava horas no telefone com as amigas e dormia.
Velhos dias, velhos tempos…
Agora? Acordo e lá está ele já acordado fazendo algo para gastar energia, como tomar banho na hora que eu tenho que ir para o trabalho, ou tomar leite e não avisar que acabou, ou implicar pois a faxineira devia primeiro lavar o chão e depois lavar roupa, ou pior, todo dia some algo dele, como o tênis, a blusa preta, o gôrro, e sempre diz: - Onde você guardou isso?
Ah! Ainda não contei: ele voltou para o aconhego do lar desempregado. É a saudades de mim era grande demais. E, como anda o mercado para locutores desempregados? Vasto, muito vasto e promissor.
Hoje não tenho mais tempo para malhar, para ir ao mercado, falta tudo em casa, as contas estão atrasadas, pois até esqueço de pagá-las, a casa uma bagunça, meus cachorros carentes, minhas unhas horríveis.
Não vejo mais novela, não leio livro, minhas amigas me odeiam.
Mas… dizem que o amor é cego, e eu digo, o amor, é cego, surdo, louco, insano, e dá um trabalho…

9 comentários:

Gastón disse...

Rsrsrsrs, casar e morar sozinha é moderno Re. A tal da convivência é sempre um aprendizado.

Ana disse...

Ai querida, não deve ser fácil. Como minha mãe sempre dizia: para um casamento funcionar, mais do que amor é preciso paciência...rs
Beijos.

Kel disse...

Sweety, vou copiar um trecho de uma coisinha aqui que eu recebi e que, digamos, é perfeita pra vc nesse momento: "Amor, só, não basta. Tem que ter jogo de cintura para acatar regras que não foram previamente combinadas. Tem que haver bom humor para enfrentar imprevistos, acessos de carência, infantilidades. Tem que saber levar. Amar, só, é pouco. Tem que haver inteligência. Um cérebro programado para enfrentar tensões pré-menstruais, rejeições, demissões inesperadas, contas pra pagar. Tem que ter um bom psiquiatra. Não adianta, apenas, amar. O amor é grande mas não é dois... ( e as amigas, te amam ainda assim, viu?) rss

Re disse...

Gastón,
Morar sozinha não é moderno, é vital para o amor!
bjs

Ana, Sabia a sua mãe, paciência é a alma da vida, paciência e surdez! bjs

Kel,
Que lindas palavras... ainda bem que minhas amigas me amam, mas gostei da parte do psiquiatra e acrescentaria um prozac beasico... hahaha
bj

Pinho disse...

a peticao ja esta pronta rsrrs

Re disse...

Pinho,
Pode deixar eu não te deixaria de fora na hora da separação.... mas só que advogado amigo é de graça... bjs

Cláudia disse...

Re
manda um arquivo de audio pra mim com a locução dele que eu tento dar uma força.
E um resumé também.
cbaioco@globo.com

beijo

heitoral disse...

é, quando morava só num apartamento minúsculo conseguia organizar tudo, agora moro num um pouco maior, com armários gigantes e não consigo organizar nada.
casar é complicado mas é bom.
paciência.

Re disse...

Claudia,
Já mandei.... espero que vc me ajude, pois minha saúde mental depende disso... hahhah bjs e obrigada


Heitor,
É bom que vc ainda vai casar em setembro... depois de 5 anos a gente conversa.... hahahah bjs