quinta-feira, 22 de julho de 2010

Cansado da propaganda das Casas Bahia?

A vida pode ser difícil, viu gente? Fica o conselho. Eu odiava ver os comerciais das Casas Bahia a cada intervalo, com sua narração berrenta, eu pensava: Não, nada pode ser pior do que ver este conjunto de sofá de "chenille", nem esta cozinha Veneza que vem com a mesinha de mármore de graça com 4 cadeiras, nada pode piorar no mundo. Mas pode ser pior e muito. No canal aberto ando sentindo falta do Boa Noite bonitinha, Boa Noite bonitinho do sempre elegante Ronnie Von, ver os lançamentos da Marlene Enxovais. Ai que saudades. Bons tempos eram aqueles. Os canais abertos daqui são de programações locais, existe o programa Cardinô, que se eu contar aqui o tema central do programa de hoje vocês vão pensar, não, lá vem ela falar mal de Nordestino, não, não darei este gostinho para as pessoas de plantão loucas para brigar comigo. Mas o bom dos canais locais é que tudo surpreende de repente, faz você perder o ar, o chão, o norte, os valores, o cérebro e perceber, que hoje um Boa Noite bonitinha seria incrível até mesmo naquele dia que o programa só mostra coisas de seguros, ou da nutricionista gordinha dando dicas de dieta, ou ainda das histórias do botânico, cantor, apresentador, empresário, decorador e modesto Ronnie. Queria ilustrar o que eu falo, pois com palavras não saberia me expressar e procurei incansávelmente o comercial das Tintura Marcia, mas não achei, triste, só quem pega a Globo Nordeste sabe o que estou falando. Mostra uma moça de cabelos longos e pretos lindos. Ela sacode o cabelo para um lado para o outro, com um figurino de deixar qualquer cantora de Calypso doida para descobrir quem fez aquela roupinha tão sexy, até aí tudo bem se na cena final não aparecesse um gay esteriotipado dizendo: A Marcia abalou. E fim. Mas lembrei de uma outra propaganda que para mim resume bem o tamanho da minha indignação. Não sei linkar vídeo direto do youtube aqui, por isso copiei o link, por favor abram e me dizem se eu não tenho razão para sentir falta até dos canais abertos paulistanos, e se alguém entender o sentido desta propaganda existir, podem me contar a história dela, o sentido, o brifing inicial, o target, ou algo que me mostre que minha mente pouco criativa não captou. Divirtam-se e lembrem-se: se a gente acha que já viu tudo no mundo, a vida reserva surpresas...

http://www.youtube.com/watch?v=mqYkUu6BSL4

Nota da blogueira: a saudades de Ronnie é sincera.

8 comentários:

MH disse...

Meu deus... e será que funciona isso? Hahahahaha
Toda vez que assisto tv aberta eu surto um pouco. Mas ia rolar até cair do sofá se visse tv aberta aí no nordeste...

veja bem, estamos falando de uma pessoa que cresceu vendo tv aberta de campinas e região. Que já viu TV Beira-Rio de Piracicaba e quase morreu de vergonha alheia. Não é preconceito, é incredulidade. Não posso crer que esse tipo de propaganda funcione!!!

MH disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ana disse...

É pq vc não viu o comercial do Eno, com as barrigas falantes... é a pior coisa do mundo!

VaneZa disse...

Realmente, a pior coisa aqui no Nordeste é a propaganda da tv aberta. Sem comparação.

Bom... queria aproveitar também pra dizer que tem um selinho pra você no meu blog.

AbraçoZZz

Vi disse...

Eu ADORO o Ronnie!
E estou contigo e não abro. Só quem tinha que desligar a TV ao meio-dia porque o programa era o Polícia 190 com o "presunto" estendido no chão, todo ensaguentado, sem qualquer cerimônia (tela trêmula, escondendo o cadaver não é coisa de macho) é capaz de sentir até falta do Datena!

Kakaya disse...

Pode xingar?
Putaquilpariiiiiu!
Muito ruim mesmo o comercial!
Nossa Senhora do Cliente e Padroeira do Diretor de Criação...

Vou ver se falo de um comercial péssimo aqui do E.S. também no meu blog daqui uns tempos.

E você, quando puder, passe lá!
Beijos!
Sou fã!

Cláudia disse...

amiga, passei a adolescencia em Brasilia, anos 80, sei tudo de comercial de produção local ruim.

Agora aqui, cidade mais rica da América Latina bla bla bla, já viste o comercial da Dolly para o dia dos pais? Dá até dó do guaraná, coitado, que sai do pé lá na amazônia achando que vem pra cidade grande ser um refrigerante de bem e tem de passar por esse constrangimento.

beijo

mc disse...

HA! fiz um post inspirado nesse, e dedicado à você! Vai lá ver!
beijos