segunda-feira, 13 de novembro de 2006

Mulher solteira procura

Na minha adolescência tive uma amiga, que não vou dizer o nome, que me causava medo, ou melhor pavor. Ela me imitava em tudo. Eu cortava o cabelo, ela me imitava e fazia o mesmo corte, eu fazia luzes e ela achava um jeito de fazer também, eu comprava uma roupa, ela comprava igualzinha e usava no mesmo dia que eu. Quando as pessoas diziam: - Nossa como vocês se parecem, ela ficava feliz e eu deprimida.
Ela dava em cima dos meus paqueras antes de mim, ela ligava para a minha mãe para dizer que eu tinha prova, pois sabia que eu devia estar na rua aprontando algo.
Ela me fazia passar vergonha, imagina que no shopping ela ia comprar presente para o namorado e perguntava para a vendedora: - Você conhece coxa de nadador? Pois o meu namorado, tem umas coxas! Que vergonha.
E um dia, ela ligou para a minha mãe para dizer que eu estava ficando com fama de galinha… tadinha de mim, 15 anos e apenas 2 mocinhos no meu curriculo…
Ela era tão má comigo.
Aí o tempo passou, nos separamos e paramos de nos ver e de nos falar, às vezes nos encontrávamos por acaso e ficávamos naquele papo de: - Te ligo, me liga, tá bom?
Só que ela me ligou outro dia, e blá, blá, blás depois, pergunta: - Como está o seu cabelo?
Desliguei o telefone com medo, ou melhor pavor.

5 comentários:

KIKI disse...

Bem me lembro desssa sua amiga... que por sinal me odiava, pois eu era "concorrente"!!!! hahahahahahaha
Bjs
PS: Não caia nessa tocaia de novo!!!

Anônimo disse...

Cruz credo, toc toc toc.
Mas num entendi o titulo... :P
Beijo!

Garçom disse...

hahahaha

Com uma amiga dessas, quem precisa de inimigas?

Cláudia disse...

Isso lá é amiga?
É um encosto, um exu-caveira, isso sim!

Gastón disse...

Fala pra ela ligar pra mim que eu falo como tá o meu cabelo pra ela.

(reparou que eu tirei a tarde pra comentar seu blog né?)