segunda-feira, 29 de outubro de 2007

O jeito carioca de ser

Fui passar o final de semana no Rio a trabalho. Engraçado voltar para a minha terra agora só para trabalhar e em datas festivas, como gosto daquele lugar. Desta vez fiquei na Barra, pela primeira vez vou para aquela região com o intuito de dormir, pegar praia, trabalhar e fazer tudo por lá.
Após um dia inteiro enclausurada, dentro de uma casa de show e ter a oportunidade de ver Zeca Pagodinho no seu habitat, voltei para o hotel, e foi um pouco difícil dormir com o barulho do mar, devo confessar.
Logo cedo acordei e corri para a praia, que sábado ensolarado, fui com o fotógrafo que me acompanhou nesta viagem, ele no mar e eu na areia curtimos a praia da nossa maneira.
No decorrer da manhã, fui molhar o pézinho na água. Como é frio o mar carioca, será que quando eu era criança entrava lá sem ser forçada? Bem, mas voltando ao assunto, estou lá, de frente para o mar apreciando aquele azul, as ondas, os surfistas lá longe, quando chega um homem perto de mim com uma menininha de uns três anos e puxa papo.
- Ta frio o mar, não é?
Respondo que sim e quando olho para o lado percebo que a filhinha dele estava quase se afogando, ele corre, a socorre e me diz: - Até me distrai com a sua beleza.
Han? Ele quase afoga a filha para passar um xaveco?
Neste momento, o fotógrafo sai do mar e senta na minha canga e o homem lá, de sunga, uma filha quase afogada e me dá um cartão com o telefone dele.
O carioca é assim, não pensa, não tem medo de levar um não, nem de afogar a filha. Não mede esforços para te cantar e ser galante. Era quase coroa o homem, interessante, mas ele nem questionou se o fotógrafo era meu namorado, marido ou amante. E para falar a verdade algo me intriga até agora: da onde ele puxou aquele cartão? Da sunga?

15 comentários:

Ana disse...

Hahahahahaha
fantástico seu texto!!!
Preciso ir ao Rio viu, esses homens aqui de SP não estão com nada!!!
beijos

• keL • disse...

mto mto mto bom sweety!
hahaha tô morrendo de rir! Gente boa esses cariocas viu? Uma vez conheci um que até hoje nem sei o nome de tão rápido que ele foi! bjo bjo

Re disse...

Ana, precisa mesmo... ah!!!! se o Rio falasse quantas histórias boas não contaria..... bjs

Kel, carioca é assim, chega sem pedir licença e quando vc vê.... tira um cartão da sunga.... viva o homem carioca..... bjs Re

Paula Nigro disse...

Adorei o texto. Dei muita risada com o final.
Acho que o cartão estava especialmente guardado no rego dele...rsrsrs!
Beijos

Zagaia disse...

Olha... Preciso falar? Ai o Rio... Deus meu!!

Re disse...

Paula,
Que bom que vc gostou do texto.... mas o pior de tudo é que eu toquei neste cartão!!!! onde ele estava.... só Deus sabe.... bjs

Ju,
Não precisa falar... este Rio, hein? só dá alegrias....
bjs
Re

heitor disse...

cada vez mais eu me espanto com suas histórias..

Re disse...

Heitor,
Só comigo acontece, diz? hahahah
Adoro quando vc dá o ar de sua graça....
bjs Re

Pinho disse...

A pergunta que nao quer calar - Vc ligou???
bjs

Re disse...

Pinho,
não liguei, pois não vale um interurbano... e nem uma desinfetada na mão para tocar no cartão... rsss
bjs
Re

MH disse...

É, a água no Rio deve ter a mesma temperatura do polo sul. Tentei entrar no mar algumas vezes, mas não passei da altura da canela.

E o cartão tirado do "nada" (por favor, me deixa acreditar que foi do nada...) dá um certo medo. Coitada da menininha, vai crescer traumatizada!

Cláudia disse...

Quem, pelamor, vai pra praia e leva CARTÃO DE VISITA?
beijo

Re disse...

Clau,
está é a grande questão da humanidades... hahaha bjs Re

andrea disse...

Re
Gosto de acreditar que ele mandou fazer um bolsinho extra no calção para levar cositas vitais para a praia. Imagina um dia inteiro de cerveja, frescobol e corridinhas a beira mar... O cartão vai ficar transparente de tanto suor! ECA!!

Re disse...

Dea, eu acho que não tinha bolso no calção.... acho que o cartão que toquei estava em contato com a coisa suada.... nojo... hahaha bjs Re