terça-feira, 4 de dezembro de 2007

Professor de violão

Durante anos insisti no erro de que um dia seria boa violonista.
Erro mesmo, comecei tendo aula em 1984 com a Dora, professora velhinha, ótimo papo, tocava muito bem, muitas músicas velhas. Com ela aprendi o básico e era muito feliz assim, tocava A Banda do Chico e me sentia pronta para encarar um festival.
Durante 8 anos a Dora foi em casa toda quinta-feira, eu abria os cadernos dela, escolhia uma música para me ensinar e ela ensinava, simplificando as notas, os acordes, o ritmo, mas ensinava. Foram anos felizes. Eu reunia meus amigos e tinha coragem de tocar para eles, era um ótimo exercício contra a minha timidez.
Um dia ela se aposentou e eu já na faculdade consegui um outro professor que era amigo de um amigo de um amigo, aquelas coisas…
Minha primeira aula com ele, perdi o fôlego: primeiro, pois eu na verdade não sabia tocar nada e ele era profissional e eu apenas uma grande enganação e segundo que ele era lindo.
A partir daquele dia as aulas de violão se tornaram um evento para mim. Era o dia em que eu estava mais arrumada, com a saia mais curta, o cabelo mais penteado. No primeiro ano com ele, as aulas eram na minha casa, a partir do segundo eu passei a ir na casa dele, já tinha 19 anos e ele devia ter uns 29…
Durante anos e anos continuei na minha louca paixão platônica pelo professor, tentava a todo custo chamar sua atenção, contava histórias engraçadas, estudava a sério, levava mais a sério o violão do que a faculdade… e ele lá, lindo, me ensinando.
Boa parte da aula eu ficava só ouvindo ele tocar e babando. Homem que sabe tocar bem um instrumento já é meio caminho andado para o sucesso, né?
Com ele foram 10 anos de “estudo”. Eu lá sempre cheia de charme e ele nunca me deu bola, sempre ria das minhas investidas, até acho que ele era gay.
Um dia parei de ter tempo para as aulas e nunca mais toquei violão. Após 18 anos de estudo, de emprenho e de nenhum talento.
Outro dia liguei para ele: - Fernando, adivinha quem é? Uma dica… a sua pior aluna…
- Não Renata, você sabe que não era a minha pior aluna, eu tinha um com Sindrome de Down.
- Rsss, ah! Fê, quero ter aulas de novo, tem horário?
- Desculpa Renata eu não consigo mais te aguentar toda semana, pode ser uma vez por mês?
Pois é, nunca mais falei com ele, mas anda me dando uma vontade de voltar a insistir no erro, da aula, claro….

9 comentários:

Pinho disse...

O que, vc toca violao??
Te conheço desde os 17 anos e nao sabia disso.
E estuda ha 18 anos!!!!!!!!!!
Nem o Yamandú Costa estuda a tanto tempo, vc deveria ser uma virtuose Re. rsrsrsr

Re disse...

Ai Pinho... quando vc me conheceu eu jea estava na fase de não tocar para os amigos, pois percebi que tocava muito mal.... Nunca seria uma Yamandú.... NUNCA.... tadinha de mim.... os calos nos dedos continuam.... bjs Re

mc disse...

Homem que sabe tocar bem um instrumento é meio caminho andado.

homem que tem um humor desses completa o circuito.

Re disse...

MC, concordo se toca bem um instrumento imagina o resto? Quanto ao humor, podia ter sido mais sutil com meu pobre coração.....hahahah bjs Re

Ana disse...

Ai Re
que judiera, esse professor foi bem malvado hein!
Beijão

Cláudia disse...

adorei a historinha.
Meu professor de italiano era lindo também: um par de olhos azuis não muito claros, manja? Pele morena e bunda redondinha... Jesus me chicoteia e me ampara em teus braços!!!
beijo

Re disse...

Ana, eu só sofro por amor... hahaha
bjs

Clau, chicoteia mesmo.... italiano já é tudo de bom tocando.... falando com aquele sotaque... ah! Meu Deus....
bjs Re

Paula Nigro disse...

Caramba! "Não consigo mais te aguentar toda semana...". Você aprontou todas com o coitado, hein?
Beijos.

Dedinhos Nervosos disse...

Na verdade ele deve ter feito análise durante anos pra conseguir te falar isso rsrs
Adorei seu blog.
Bjos!