quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Cordeleando no mundo moderno


Uma baronesa nunca confessa
Seus sentimentos mais profundos
Apaixonou-se por um rei e a casta não permitia
A casta não aceitava
Baronesa sai desta vida, sai de mim, vai viver
Baronesa ouviu, pois baronesa ouve e obedece
Baronesa foi viver
Foi esquecer que seu rei nunca seria barão
Talvez Conde
Título nobre demais para quem não merece
Rei disse: Vivo bem sozinho, não preciso de rainha
Baronesa disse: Serei feliz sem barão, sem rei, sei reinado
serei feliz sem vosmice para me perturbar
E assim saiu farrapando com a vida
Pegou a estrada até um vilarejo distante
4 dias de caminhada
As solas se gastaram
As forças esgotaram
Chegando lá, dormiu outros 4 dias e noites
E ainda assim, a vida farrapou com ela
Virou tabacuda
Virou abestalhada
Mas foi achar seu reinado
E na cidade da terra vermelha ela achou um moço e perguntou:
Vosmice quer ser meu barão?
Ouviu um não
Perguntou de novo para outro moço
Não
E de novo
Não
Até que ouviu um sim. Finalmente. Um sim
Baronesa casou e foi feliz com seu barão. Não no para sempre dos contos de fada, isso aqui é um cordel
Até que...
...na terra distante, um dia o tal rei percebeu que baronesa era mais importante que ele imaginava e que de nada adiantava ter um reino sem rainha, ter uma terra marrom, sem saber ara-lá e um palácio sem vida
Foi atrás da baronesa
Andou 4 dias e 4 noites até que achou seu novo vilarejo
Baronesa, quero te fazer minha rainha
Sua casta agora é a mesma minha
Baronesa olhou bem, pensou e disse:
Na sua casa tem Tv a cabo?

* Nota da autora: Era para fazer sentido este Cordel?

5 comentários:

Roberta disse...

uhu! Adorei!!

Paula Nigro disse...

GE-NI-AL!!!
Beijos!

UrbAnna disse...

Bonito assim nem precisa fazer sentido, Re!
Super beijo

Dedinhos Nervosos disse...

Eu AMEI, Rê!
Tá inspirada, heim!
:o)
Bjos!

Vivi disse...

LINDO RE!!!!!!