sábado, 5 de fevereiro de 2011

Me chama de lagartixa*


Quando te vejo atravesso a rua, me encosto nas sombras, fico andando pelas paredes.
Quando te vejo mudo meu rumo, meu jeito, meu destino.
Quando te vejo acho que não é hora ainda para te encarar, por isso fujo.
Quando te vejo ando toda em zigzag tentando disfarçar, não derreter, não arder.
Quando ando na rua desinteressadamente e você aparece, perco os sentidos, saio correndo e me escondo, vou atrás de um escuro, um frescor.
Quando te vejo acho que você está exagerando nesta perseguição, quero ficar bonita, linda, com o frescor de quem nunca te viu.
Quero chegar inteira no meu destino, sem você me atrapalhar, me colocar barreiras nem consequências ou osbtáculos.
Vendo você penso que eu queria estar de biquini, em uma praia, no mar o tempo todo ao seu lado. Não gosto de te encontrar no meu caminho sempre que saio de casa.
Vai, me chama de lagartixa, me joga na parede, me faz atravessar a rua, mudar meu caminho...
Mas eu sei que das 6 da tarde em diante, não vou te encontrar então volto a vida andando normalmente como se eu nunca tivesse te cruzado.

* Um post para o sol, que me faz andar na rua fugindo dele como uma lagartixa, subindo pelas paredes, buscando as sombras.

7 comentários:

Cláudia disse...

A gente devia poder desligar o sol de vez em quando.
Ou ele ter aquele interruptor que regula a intensidade da luz.
Assim, quando estivéssemos indo trabalhar, estudar, diminuiríamos sua intensidade, e deixaríamos voltar ao normal quando finalmente pudéssemos curti-lo.
beijo, aqui também tá um calorão só!

Linda Carioca disse...

Eu odeio calor. Sem comentários !

Ana disse...

Adorei o post!!! Fiquei surpresa no final qdo vi que era pro sol. :)

eduardorios disse...

Seu filho da puta odiei esse poema sem noção,''sou o sol blá blá.... qem foi o fdp qe fez essa merda?

eduardorios disse...

Uma merda!!!

eduardorios disse...

XD

eduardorios disse...

kkkkkkkkk ´ brincadeira eu adorei o poema ate tenho ele no celular ;D