sexta-feira, 14 de maio de 2010

O breve retorno

Para chegar em São Paulo significa um dia de viagem, 2 horas de carro até Recife, 1 hora de aeroporto, 3 horas de voo, 2 horas de Guarulhos até Congonhas, 1 hora de Congonhas ao Morumbi, casa de minha mãe.
É estranho voltar a cidade que me criou, apenas como turista, vim para trabalhar, por uns dias, mas ainda assim, me sinto uma turista.
Fazia tempo que e não tinha uma casa na minha cidade, um carro, um amigo me esperando no aeroporto, Kiki sempre fazia isso com meu pai, faz tempo...
Hoje posso me sintir como Baudelaire, flanado a prórpra cidade, revendo as esquinas, os avanços, olhando o trânsito sem me envolver e sem tentar achar soluções cabíveis, sem me indignar com a cidade que não é mais minha.
Flanar meu bairro de infância, tão real, tão real parque de sempre, o grito do colégio da rua de trás, a feira de quinta e de domingo, a padaria às 6 da tarde, que cheirinho bom, cheirinho de pão e eu flanando, flanando por pessoas que não fazem mais falta na minha vida "Bom Dia Gilvan", "6 pãezinhos por favor", nada disso faz parte da minha vida, minha essência de hoje, mas vou flanando, "Caramelo quer passear", as ruas tem os mesmos cheiros, vou flanando, flanando sem me preocupar sem me abater, deixar a saudade não apertar, aqui não é o meu lugar, minha rua não tem asfalto, minha casa não tem número, casa L, casa L, vou flanando pelo meu passado com a saudades do meu presente, olhando como turista tudo o que um dia chamei de meu, minha cidade, meu bairro, minha casa, minha rua, minha padaria, meu porteiro, meu passado.

PS. Flanando por São Paulo poderíamos marcar um novo "passei dos trinta after dark"*, que tal?
*After dark não era o nome da boite de Barrados no Baile?

7 comentários:

Ana disse...

Ah deve ser ótimo passar por São Paulo como turista, sem absorver essa insanidade toda!

Eu topo o encontro! :)

Vivi disse...

haha. sim, After Dark, RE!
Welcome back, ainda que seja como turista...
Adorei a parte 'sem me envolver'...acho que isso resume completamente este seu sentimetno de liberdade com relação à São Paulo...à esta vida agitada e louca...
E tudo isso deve ser muito, muito gratificante! é bater no peito e falar: SIM, AGORA SIM! QUe orgulho da minha escolha!!!
Parabéns, RÊ E vumbora no encontro!
OBA!

MH disse...

Ei, marca sim que dessa vez eu queria muito ir...
bem-vinda a essa terra fria e cinza que a gente não consegue não amar!
beijo

Kakaya disse...

É, eu como só fui turista em Sampa, consegui amar as pixações, o trânsito, o barulho, o cinza e tudo que deve incomodar quem vive ai!

Cláudia disse...

ENCONTRO JÁ, AGORA IMEDIATAMENTE!

Roberta disse...

ai que nostalgia gostosa!

Manoel disse...

Cheguei ao seu blog por indicação de uma amiga.
Estou gostando de ler suas histórias.