sexta-feira, 7 de maio de 2010

Médica e monstro

Nunca contei esta história para os amigos, pois ela é tão sem pé nem cabeça e me desorientou tanto e por tanto tempo que eu nem conseguia contá-la, mas hoje estava pensando e resolvi falar e fazer uma enquete: quem é a louca da história?
Vamos lá, me ajudem...
Em junho do ano passado, passei por uma crise braba, sabe? Um luto tardio, uma insatisfação com o trabalho, estava cansada de ficar sozinha em São Paulo e o Renato longe, estava estressada com tudo e todos, enfim, após ficar uns dias chorando sem parar, indo trabalhar de pijama e com vontade constante de sumir, fui fazer terapia.
Confesso que sou uma pessoa muito fechada para isso, mas fui, precisava de um auxilio urgente para pelo menos ter coragem para trocar de roupa antes de trabalhar, recorri a doutora doida.
Estava indo bem, eu ia toda segunda à tarde, fui durante umas 6 semanas quando um certo dia ela não podia me atender na segunda, me ligou e remarcou para quinta, mas eu tive um imprevisto de trabalho na quinta e deixei recado no celular da doutora doida:
- Oi Doutora Doida, aqui é a Renata e não poderei ir hoje, vamos continuar na segunda que é mais fácil para mim. beijos me liga.
Na sexta ela me liga toda brava pois eu havia "faltado a sessão", e era para eu estar lá em uma hora, era uma ordem, missão simples para quem mora em São Paulo no Morumbi e ela atende no centro, né? Umas 6 da tarde de uma sexta-feira? Melhor ainda.
Avisei que não iria, pois tinha outros planos e que havia deixado recado no celular que ela afirma que não recebeu e ela ainda disse que eu devia ter ficado ligando até conseguir falar com ela. Bem, eu sou da geração que acredita na tecnologia, o recado do celular chega na hora, ou marca que meu número ligou para ela, certo?
Bem, na segunda chego na minha sessão e ela me diz:
- Antes de mais nada precisamos conversar, foi muito feio o que você fez não me avisando que iria faltar a sessão, e não dando pioridade a terapia, você tinha que ter vindo quando te liguei.
- Hãn? Eu não vou assumir que não liguei, pois eu liguei, tudo bem eu pago a sessão que eu não vim, se é isso que importa, apesar de eu ter avisado com antecedência, mas eu não vou assumir que estava errada.
- Sabe de uma coisa mocinha, saia daqui agora. - aos berros - Sai daqui, saia, xô, xô, xô, sai, sai, SAIIIIIIIIII, me carregou até a porta do consultória e me expulsou de lá.
Eu estava em tratamento sério, pois chorar por 4 semanas seguidas e initerruptas não é normal, né? Eu estava tendo que tomar uma decisão difícil, largar meu emprego, minha família e tudo mais para vir morar aqui no Nordeste, e ela ficar carente por eu não ter ligado (segundo ela), nem ter corrido para o centro da cidade às 6 da tarde saindo do Morumbi (pois eu não sou louca de verdade, só finjo). Quem em sã conciência sobrevive a este trauma? O pior, eu saí de lá chorando, não disse uma palavra e fui chorar no colo da minha mãe, que óbviamente queria ir lá socar a doutora doida.
Agora vem a enquete para aliviar ou amaldiçoar minha alma:
Uma médica pode fazer isso com um paciente em tratamento? Falar xô, xô, xô, sai da minha sala e pegar a paciente pelo braço até a porta do consultório e ainda bater a porta na cara dela? Pode? Sem motivo nenhum? É normal? Quem é a doida? Quem?

22 comentários:

Ana disse...

Não pode não Re!! Isso é absurdo!!! Vc deveria denuncia-la para o CRM!!!

Sério, tem muita psicologa louca por aí... eu mesma ja passei por uma que afirmou que meus pensamentos é que atrairam tudo que aconteceu na minha vida. :P

Mas em compensação depois eu encontrei uma maravilhosa, que me mostrou o que é ser mesmo uma boa psicologa.

Denuncia ela!!!!

UrbAnna disse...

Re,
Sabe o que eu acho?
Que a terapeuta dela faltou à muitas sessões e deixou ela esperando sem aviso, aí ela traumatizou, né?
Coitada, doida de pedra.
Se eu acreditasse em terapia e tivesse uma terapeuta eu indicava a minha pra ela...
Beijo

UrbAnna disse...

Apoio a Ana, vc devia denunciá-la!

Renatinha disse...

Ana e Anna,
Sabe? quando aconteceu eu ia denuncia-la, mas depois resolvi seguir minha vida e criar coragem sozinha para as minhas mudanças, fora superar este trauma que ela me causou. Estou bem mais aliviada achando que não sou eu a doida.... rs obrigada!
beijos
Re

Roberta disse...

Ai, moror de medo de psicólogas e médicas doidas.. ao invés d eajduar elas podem colocar mais barulhos de carroça na nossa cabeça.. se bem que essa aí é tão, mas tão, mas tãoooo! doída que você não correria o risco e depois do choro no colo da sua mãe, tenho certeza que pensou " nem to tão mal assim' há piores...(rs) e bola pra frente. Agora que merecia ter por interditada a habilitação para terapias merecia...beijso Rê!

Renata Marques disse...

O fim da picada, Rê! Claro que ela jamais poderia fazer isso! Se não eticamente, moralmente ao menos.
Passei por situação parecida (menos pior) por duas vezes e tb fiquei chocada. Passei a acreditar que todo psicólogo e/ou psiquiatra segue essas carreiras para tentar se tratar pessoalmente, pra se entender...Bandiloko!!!!! rs
Mas olha, na boa? Eu teria processado a maldita.
Sossegue seu coração pq vc agiu perfeitamente, ela que pirou.

Bjo.

Ma disse...

kkkkk...chega a ser engraçada a história. Sei que deve ter sido f. na hora e até traumático. Mas aproveita que você está bem e feliz e ria, ria muito dessa história porque é para isso que ela serviu. Sabe, tem coisas na vida que com o tempo e a distância, servem para agente ri. Ri dos outros e principalmente ri de nós mesmo. Quanto a ela? Doida, doida, doida rsrsrs.

Bjs

Ma disse...

Complamentando o comentário....faltei duas sessões com o meu terapeuta e a última eu nem avise....MEDA!! kkkkkkkkkkkkkkk

Manusen disse...

vc nao denunciu essa mulher no conselho de medicina nao???

Dedinhos Nervosos disse...

Para tudo. Como que essa FDP faz isso com vc? Eu acho que antes de partir de mala, cuia e cavaquinho para o nordeste, vc tinha que ter dado queixa dessa vaca em algum lugar. Deve ter algum órgão pra isso, né? Pq se desse uns tapas, ela ia logo esquecer pq é doida, mas um processo ia pertubar a vida dela por um bom tempo! ufffff
Bjos!

Virgínia disse...

Muito sério isso! Mas ele á psiquiatra (CRM nela!), psicóloga (denucia djá para o conselho deles) ou terapeuta? Tem que ficar de olho porque tem muito charlatão por aí! Terapeuta nem precisa de faculdade, faz um curso e pronto!
Quando as outros, conheço vários com problemas também. Tivemos um caso sério bem próximo. Médico bom, mas se recusava a ir a um colega "desabavar"o que ouvia dos pacientes. Resultado? Surtou! Passou a acreditar que tudo o que ele tinha ouvido dos pacientes acontecia com ele também... profissáo difícil!

O importante é procurar alguém recomendado. E trocar, se não se sentir segura... olho aberto!

Renatinha disse...

meninas,
não denunciei, apesar de ter contado para um advogado amigo na época...
achei que ia me render mais aborrecimento, estava frágil, sabe?
e para piorar ela é amiga de uma tia muito querida, não quis envolver família nisso, fui uma boba, né?
demorei tanto para acreditar em terapia e minha experiência foi a pior possível... só rindo hj em dia, viu?
beijos e ufa... não sou eu a doida... rs
Re

Pri Sganzerla disse...

Nossa, Re...

Mas essa "profissional" provavelmente estava seriamente descompensada! Surtada...

Isso é antiético ao cubo! Que raio de reação insana! Denúncia ao Conselho Regional de Psicologia era o mínimo que ela merecia. Mas entendo vc ter evitado o stress porque tinha coisas mais graves e urgentes pra resolver na sua vida.


São comportamentos como esse que desqualificam toda a categoria. Ridículo esse discurso dela. E mais ridículo ainda são esses profissionais despreparados que "psicologizam" absolutamente tudo, dando interpretações baratas de pseudopsicanálise de botequim.

Por essas e outras é que psicólogos são vistos como seres estranhos, metidos à superiores e muitas vezes problemáticos. Ô raça! rsrsrs (E eu posso falar um pouquinho sobre isso com conhecimento de causa. rs)

Abstrai e tenha certeza de que a louca e inadequada foi ela. E não traumatize porque você passou pela mão de uma pessoa que deveria estar se submetendo a tratamento - e não se colocando na posição de quem trata.

Eu hein! A encrenca é que ela deve estar atendendo outras pessoas, fazendo bobagem por aí e afetando a cabeça de outros pacientes... Triste.

Kakaya disse...

Clarooo que devia denunciar!Hahahaha!Doutora doidona mesmo!
Mas acho que poderia ter outro final: Vendo que havia outra mais doida do que nossas doideras passageiras, eu teria caído na gargalhada e me curado!rsrs!
Eu tenho um médico doido...nutrólogo.
Taí, vou postar dele no blog!

disse...

putz sei muito bem o que vc passou no dia. Eu passo pelo mesmo problema em fazer terapia pois meu noivo mora em outra cidade e largar emprego e familia para ir morar longe nao é fácil. A gente ja fica sensivel e essa doutora doida fazendo isso? com certeza ela é a louca. beijos

Cláudia disse...

Devia ter levado PTK e Zezinho até lá pra soltar uns puns daqueles que só os cachorros sabem dar e empestiar a sala da criatura.
Brincadeiras à parte, ela é doida de babar, mas entendo que voce nao tenha denunciado, era uma coisa a mais para pensar no meio de tantas outras e tem horas que a gente só quer eliminar os problemas da lista, pagando o preço que for.
beijo

MH disse...

É, você já sabe, com certeza, que doida é ela. Mas por mais que você tenha conseguido superar isso e tomar todas as decisões que tomou, ainda acho que devia denunciar a louca. Porque ela continua por aí, falando barbaridades para pacientes fragilizados, e nunca poderia estar atendendo...
Fico chocada, justamente uma profissional que vive de "olhar o outro", para ajudar, ter uma reação psicótica dessas! Horror!

beijos pra você na sua nova vida, apesar de todo o dano que a dra doida poderia ter causado!

Dedinhos Nervosos disse...

Eu de novo! rsrs Menina, vc tinha mesmo que denunciar a vaca, sabe pq? Pq aposto que ela continua a tratar as pacientes assim. Pacientes que confiam nela e precisa de ajuda profissional. Com 1 processo nas costas, no mínimo, ela vai ter mais tato das próximas vezes. Será bom pra todo mundo.

Renatinha disse...

Meninas,
Sabe o que é pior desta história estranha? estava pensando e vi que hj eu me pego pensando em contar algo para alguém e volto atrás e penso: se nem quem eu pagava para me ouvir me ouvia imagina se alguém vai me ouvir de graça? é um trauma, né?
Ai, ai, ai... vo ter que superar o que esta doidda me fez, viu?
Mas adorei saber que eu sou normal!!! rs
obrigada pela solidariedade e idgnação conjunta....
beijos

Vivis disse...

Hehehehe, Rê.
COmo disseram, seria cômico se não fosse trágico.
Bom, já fiz terapia por longos anos e, até que gosto.
Mas agora, antes de casar, dei férias pra ele e não retomei, por enquanto.
É realmente difícil escolher um profissional: um dia, com outra psicóloga, anos atrás, estava numa destas crises aí (como vc mencionou) e estava mto chorosa e não resistindo mais às emoções.
Eis que a dra. doida me solta: "VIviane Viviane, sabe, é bom vc estar nesta depressão! É sinal que vc está se entregando à situação da sua vida! Vou te dar um remedio pra tomar e se vc nao voltar aqui na semana que vem, vou te procurar nem que seja no inferno!!!!"
COmo vc fez, fui chorar no colo de mamã que achou a dra doida uma maluca insandecida e queria ir lá dar uns tapas; coisa de mãe.
No fim, decidi me dar alta...e no inferno, ela ainda não deve ter aparecido pra me pegar...mas deve chegar lá uma hora.
Pode?!
Beijão Rê!

UrbAnna disse...

Re,
Se vc precisar de alguem pra desabafar, saiba que pode contar comigo, eu nao cobro nada e acho que ainda nao estou tao doida quantoa dra.
Que me desculpem a "falta de flexibilidade" mas eu acho que quem tem amigos verdadeiros nao precisa de terapia, psicologo, etc..
Beijo, Re.
Se cuida!

Let´s disse...

Faço minhas as palavras da Pri (com conhecimento de causa também...rs). Sou psicóloga e este é um trabalho sério que exige análise pessoal e supervisão constante.Profissionais como ela denigrem a classe e podem acabar com a vida de alguém. O que ela fez é crime. Não desista da terapia, Rê. Ela mudou minha vida para muito melhor.Sim, eu sou uma psi que se trata.