quarta-feira, 30 de agosto de 2006

Pernambucolite

A melhor coisa de morar em Recife foi aprender um novo dialeto. No começo eu franzia a cara para entender o que falavam, mas fui me acostumando e virei tradutora e intérprete para quando meus amigos iam me visitar.
A primeira vez que andei de taxi, o taxista estava indignado, pois tinham assaltado o carro dele e destruido o tabeliê, eu também fiquei indignada com isso, pois nem sabia que carro tinha tabeliê.
Uma vez eu e meu marido estávamos perdidos e pedimos informação, o moço muito gentil, pois pernambucano é gentil, disse, na dúvida vira a direita… ficamos em dúvida por um bom tempo dando voltas no quarteirão.
Minha empregada então… era o máximo conversar com ela, ela lavava as alcatifas, achava minhas diademas e escorrinhava a porta como ninguém. Dizia que meu cachorro era muito treloso, e que eu precisava comprar jerimum para ela fazer.
Pior quando você conhecia alguém e a pessoa já lhe informava para você ficar bem atento: - Hum, este cara é peba, se acha a tampa do Crush.
Fui ao médico e ele me mandou comprar um lambedor, pois eu estava com muita tosse. Fiquei com vergonha de ir na farmácia comprar isso e passar vexame.
Pior era no verão comprar remédio para acabar com os maruins.
Sinto falta do sururu da Dona Helena na praia, de tomar Vinho Botticelli em Olinda, comer codórninha no pé sujo ou no cospe grosso, basicamente sinto falta das minhas amigas Eli e Silvinha.
Tabeliê – painel
Dúvida – bifurcação
Alcatifa – tapete
Diadema – tiara
Escorrinhar – empurrar
Treloso – bagunceiro
Peba – pessoa mala
Tampa do Crush – pessoa que se acha
Jerimum – abóbora
Lambedor – xarope
Maruim - pernilongo

2 comentários:

Pinho disse...

imagino tua cara, comprando lambedor na farmacia
agora, " na duvida vira a direita" foi o melhor rsrss

Ana disse...

A-do-rei! mas eu tb teria vergonha de ir na farmacia comprar um lambedor... :$
Beijos.