terça-feira, 1 de agosto de 2006

As Maluf Cintra

Eu e minha irmã, lá pelos 17 e 21 anos, fomos a um oculista meio banbanban daqui de São Paulo, ficamos na fila de espera durante 6 meses e finalmente chegou o dia da consulta.
Chegamos lá e ele tinha ido fazer um transplante de córnea e a recepcionista disse que só dali a 6 meses teria outra data, fomos embora meio frustadas, (não sei porque já que ninguém gosta de ir ao oculista) mas como meu avô era oculista minha mãe acha o médico mais importante do mundo.
Voltamos para casa e falamos para minha mãe que só dali a 6 meses voltaríamos.
Minha mãe indignada pega o telefone e liga pra ele.
- Gostaria de falar com o Dr. Aloísio?
- Quem gostaria. Responde a tal recepcionista.
- Diga para ele que é Silvia Maluf Cintra.
A mulher rapidamente passou a ligação pra ele, uma Maluf querendo falar com o Doutor...
Minha mãe brigou com o médico disse que as filhinhas dela eram universitárias muito ocupadas e que não podiam perder tempo assim para uma simples consulta de vista...
O doutor achou um hoário às 9 da noite no dia seguinte.
Minha mãe se emperuou toda, fez a gente vestir a nossa melhor roupa e foi com a gente. Que vergonha. O médico nos chamava das meninas do Morumbi e nunca questionou o sobrenome inexistente dos nossos nomes... Olha o trauma que uma mãe pode causar?

4 comentários:

Pinho disse...

Dizer que Dona Silvia, ainda mais sendo uma MALUF no momento, se emperuou toda pra sair, chega a ser um pleonasmo rs
adorei bjs

KIKI disse...

Essa é a Tia Silvia...hahahahaha
Bjs

Ana disse...

Re,
pelamor, passar por uma dos Maluf é motivo para anos e anos de terapia..:)
Bjs

Zagaia disse...

HAHHAHAHAHAHAHHAHAHHAHAHA!!! Amo as histórias da sua mãe!! Muito bom... é ótimo uam carteirada as vezes, mesmo quando nem se tem a carteira!!

Bjo