quinta-feira, 3 de julho de 2008

Barulhinho bom

O meu velho quarto. O papel de parede com flores delicadas, sortidas, parecem pintadas a mão. Cortinas pink.
Tenho dormido de novo lá, alguns dias.
Por um lado é bom, me sinto ainda num passado feliz onde os problemas eram menores, os amores maiores, os medos inexistentes e a coragem infinita.
Me sinto adolescente de novo no meu banheiro cor de rosa com espelhos grandes e muitas luzes. O quadro da bailarina. As almofadas. Sempre arrumadinho.
Me faz perguntar em qual parte da vida que tudo complicou. Quando foi que eu passei a não caber dentro dele?
Não faz muito tempo em que a minha vida inteirinha cabia ali, nas paredes de flores com cortinas pink.
Mas tudo está diferente agora, eu cresci ou tudo encolheu.
A única coisa que não mudou foi o barulhinho do jogo de tênis, a bolinha que vai e vem infinitamente. Às vezes um grito de torcida outros de raiva seguido de um arranhar da raquete no chão.
Olhei pela janela e ainda me pareceram ser as mesmas pessoas jogando. Um jogo que não tem fim, para me fazer lembrar que este barulhinho bom é tão familiar. Combina tanto com as paredes floridas. Com o banheiro cor de rosa. E com as cortinas pink.
Mas não combina mais comigo pois do outro lado da porta não existe mais a família feliz, ovos com bacon na madrugada e a mesa cheia às 2 da manhã. O barulhinho que vem pela manhã junto com tantas lembranças mostra que algumas coisas são eternas e outras mudam.

9 comentários:

Flávia D. disse...

Lindo, lindo post!
As mudanças! acho que a gente nunca vai saber lidar com elas direito... :)
bjos

Amarilis disse...

Ô vidinha complicada, né? Também estou me sentindo assim hoje. Meus ombros suportam o mundo e ele tá bem mais pesado que a mão de uma criança... rs. Aproveite o quarto pink, as flores e o aconchego, pois eles existem, mesmo que agora você já seja outra. Daria tudo pra poder estar devolta ao meu quarto nesse exato minuto. Beijos!

ANNA disse...

Meu pai sempre falava que queria colocar uma pedra em cima da gente pra não crescermos! De vez em quando eu pergunto porque diabos ele não colocou!!
Bom quando os nossos problemas e lamentações eram ter que fazer dever de casa! Só isso. E a gente reclamava...

Mas é sempre bom quando alguma coisa desperta boas lembranças na gente. O ruim é que não dá para voltar no tempo..

Beijos com carinho

• keL • disse...

é sweety...
Daí a gente cresceu! Cresceu sem nem reparar que havíamos deixado coisinhas que naquela hora do café parecia bobas, mas que hoje era só o único momento que a gente mais queria ter de volta.
Não sei porque a gente não pode ter a opção de ser pequenino igual o pequeno príncipe para sempre...droga!

Re disse...

Flavia,
Obrigada, é, acho que nunca estamos preparados para as mudanças....
beijos

Amarilis,
Obrigada.
beijos

Anna,
Ele podia ter colocado a pedrinha, né? Queria tanto....
beijos

Kel,
Ah! Saudades do pequeno príncipe.... podia ser igualzinho a ele, né?
beijos
sweet

Dedinhos Nervosos disse...

Mudar é sempre difícil... mas é bom ter um cantinho para recordar uma fase boa da vida, não é? E, pelo jeito, o seu está sempre te esperando.
Beijos.

Paula Nigro disse...

Lembranças, lembranças... tão bom!!! Quanta saudade de tantas coisas. Exercício para a memória. Ainda ontem achei uma sacola cheia de cartas e bilhetinhos de amigos, ex-namorados, meus para a minha mãe... Foi tão bom!
Foi bom ver o quanto amadureci e o quanto mudei para melhor.
Pena que não podemos voltar no tempo para ver aqueles que já perdemos, não?
Belo texto!
Viva a vida, Re!
Beijos.

LindaRê disse...

As mudanças vêm mesmo... mas não deixe que as lembranças façam disso algo triste.
É difícil, mas não se pode deixar.

Beijos

Karlinha disse...

Eu tenho uma relação complicada com mudanças...Ao mesmo tempo que torço por elas, sempre tenho aquele friozinho na barriga!
Mas recordar é boooom!